NPdiário | Jacarezinho completa 120 anos com 1,7 mil casos de dengue

Jacarezinho completa 120 anos com 1,7 mil casos de dengue

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Não haverá comemoração do aniversário de emancipação

O Departamento de Esportes da Prefeitura de Jacarezinho deveria realizar nesta quinta-feira, dia dois, a 34ª edição da Corrida Rústica 2 de abril, que seria inserida na programação de aniversário do município que completará 120 anos. Só que não, a pandemia do Covid-19 impediu. Mais do que isso, os jacarezinhenses vivem também com medo de um mosquito, o Aedes aegypt.

O medo persiste e hoje apresenta números preocupantes de incidência de dengue chegando a 1.639 casos confirmados de agosto de 2019 e até o momento.  No final de fevereiro de 2020, eram 806. Em cerca de 30 dias, esse número dobrou.

Os dados são do último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde do Paraná. As informações divulgadas nesta terça-feira (31) pela Secretaria da Saúde do Paraná registra 69 óbitos confirmados por dengue no Paraná; são 12 mortes a mais que o informe anterior.

“Estamos em epidemia no Paraná e o combate ao mosquito transmissor deve ser constante; os números estaduais mostram que a dengue exige alerta diário para eliminação dos criadouros e a população deve estar atenta às medidas preventivas, pois 90% dos focos do Aedes Aegypti estão nos domicílios”, afirma o secretário estadual da Saúde,  Beto Preto.

Jacarezinho tem cerca de 39 mil habitantes e uma proporção alta de infectados. É uma das 78 cidades paranaenses que estão em epidemia.Para tentar reverter a situação, a Secretaria Municipal de Saúde de Jacarezinho trabalha para eliminar os criadouros do mosquito, como relata o agente de endemia do município, Wellington Xavier.

“O município fez, nos dias 6 e 7 de fevereiro, um mutirão de combate à dengue, com a participação de todas as secretarias do município; no dia 21 de março, realizamos um arrastão com remoção de criadouros do Aedes aegypti”, afirmou.Além disso, para reforçar a luta contra o Aedes, a Secretaria Estadual de Saúde capacitou agentes de endemias do município para o controle e a vigilância epidemiológica. Mesmo com a atuação do governo no combate ao mosquito, o secretário de Saúde do Estado, Beto Preto, reforça que os moradores do município também devem se mobilizar na eliminação de possíveis focos dentro das casas. 

“Infelizmente, passamos por esse momento e a notícia que damos é que a proliferação do mosquito pode ser diminuída, se diminuirmos os focos do Aedes aegypti.” O Ministério da Saúde recomenda que cada morador tire 10 minutos do tempo, para inspecionar a casa, verificar se não há nenhum depósito com a água parada, depósitos expostos à chuva ou qualquer objeto que possa acumular água.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Comentários

  • Facebook
  • Google Plus

Notícias relacionadas