Velas mudam o cenário de Ilha do Ponciano em Carlópolis – NPdiário

Velas mudam o cenário de Ilha do Ponciano em Carlópolis

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Local ideal para o turismo e lazer

Na tarde desse sábado, 30, cerca de 50 iatistas colocaram seus barcos e içaram suas velas nas águas da represa da Usina Hidrelétrica de Chavantes, em Carlópolis, conhecida como a Ilha do Ponciano, para a última etapa dos Jogos de Aventura e Natureza, mudando o cenário que costuma receber lanchas, iates e jet ski.

O sol estava lindo, a água calma e quentinha, mas vento não deu o “ar da graça”, apenas dois nós na linguagem marítima As provas estavam marcadas para começar pela manhã, mas foram adiadas para o período da tarde por falta de vento.

A tarde veio, o sol ainda mais quente, mas o vento estava tímido e os velejadores tiveram que mostrar muito mais habilidade e técnica. “Aqui podemos perceber que com vento de dois e três nós, ainda assim você consegue fazer a regata, muito técnica. Você mostra a técnica, qualidade do velejador em duas condições: vento muito fraco ou vento muito forte. E o pessoal aqui se destacou muito hoje com essa qualidade técnica”, explicou Sérgio Montenegro Kraemer, presidente da Federação de Iatismo do Estado do Paraná (FEIP).

Temos um cenário perfeito para difundir a modalidade aqui. Nós queremos levar o iatismo para todos, popularizar. Pegar o contra-turno das escolas e dar material para essa gurizada e colocar eles para treinarem. Aqui em Angra Doce nós temos um potencial para o turismo muito forte

E no meio de tantos talentos, um deles tinha um sotaque um pouco diferente dos demais, o espanhol do paraguaio Sebastián Leri, que está no Brasil há pouco mais de uma semana e pretende ficar mais uma.“Foi um campeonato muito bom, não tivemos muito vento, o local é muito bom e bonito”, comentou o tímido velejador, que já foi campeão paraguaio da categoria laser.

E comandando não somente Sebastián, mas também outros 23 atletas, está o Luiz Sanchéz que veio com uma equipe de peso mostrando a força da região de Foz do Iguaçu com o Iate Clube Lago de Itaipu.

“É trouxe uma turma que vem desde pequeno na parte do laser, categoria dos maiores e estão com bom nível. Temos o nacional, temos boas classificações seguidas também. A equipe está bem unida, estão bastante educados ao meio, a educação é importante e isso eu encontro na minha equipe”.

Provendo o esporte o turismo os Jogos de Aventura e Natureza também proporciona novas experiências para os atletas e seus familiares.“Esse lugar aqui é magnifico! Eu ainda não conhecia. Poderia ter um pouco mais de vento para a nossa categoria, ou poderia ser na parte maior ali, mas estamos conhecendo e gostando”, finalizou Sanchés apontando para a outra parte da represa.

Sérgio Montenegro, presidente da Federação também não conhecia a região e ficou realmente encantado com a estrutura e sugeriu alguns projetos para o futuro do iatismo no Paraná.

“Eu estou admirado com esse lugar, lindo mesmo! A outra parte da Ilha ali é maravilhosa. Temos um cenário perfeito para difundir a modalidade aqui. Por ser tudo muito perto e poderia haver um centro de iatismo e as pessoas, as crianças das regiões participaram. Nós queremos levar o iatismo para todos, popularizar. Pegar o contraturno das escolas e dar material para essa gurizada e colocar eles para treinarem. Aqui em Angra Doce nós temos um potencial para o turismo tão forte que valeria a pena pensar nisso”, finalizou.

Os Jogos de Aventura e Natureza 2019 foram organizados pelo Governo do Paraná e aconteceram em cinco etapas, abrangendo 29 modalidades e 26 cidades. A de Angra Doce teve o apoio do Sistema Fecomércio e prefeituras das cidades-sede.

 

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Comentários

  • Facebook
  • Google Plus

Notícias relacionadas