NPdiário | Covid-19: Norte Pioneiro intensifica cuidados e amplia proibições

Covid-19: Norte Pioneiro intensifica cuidados e amplia proibições

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Proibidas festas; padarias e supermercados vão fechar domingos e feriados

Exclusivo: Reunião extraordinária entre prefeitos e/ou vices das cidades que integram a Associação dos Municípios do Norte Pioneiro e representantes do sistema de saúde da região terminou com a divulgação de fatos muito sérios na manhã desta quarta-feira, dia 24 . O evento foi  no salão aberto da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), em Jacarezinho (fotos). Na ocasião, o presidente da entidade, Sérgio Faria, leu a minuta do que seria decretado nesta quinta-feira, dia 25, impondo restrições mais severas ao comércio de sete cidades.

Ao final do encontro, o chefe do executivo jacarezinhense anunciou que seguirá no cargo e não mais será secretário municipal de Saúde, mantendo, portanto, Marcelo Machado na função. E também disse que haverá um novo encontro com os prefeitos dentro de duas semanas para definir se também se pautarão pelas definições tomadas pelos colegas dos outros sete municípios, mais rígidas que as atuais.

Os prefeitos Antonely de Cássio Alves de Carvalho,de Ibaiti, Flávio Zanrosso (Tomazina), Leia da Lica (Jaboti), Angelo Marcos Vigilato (Japira), Alex Sandro Pereira Costa Domingues (Conselheiro Mairinck) , Valdir Garcia (Figueira) e Sérgio Rodrigues (Pinhalão) decidiram recrudescer o combate ao novo coronavírus em função do aumento dos casos.

Com validade de 15 dias para contingenciamento), assinarão hoje decreto conjunto que valerá a partir deste final de semana. Os principais pontos são os seguintes:

  1. I) Horário do Comércio em Geral (atividades não consideradas essenciais): De segunda a sexta-feira das 9hs às 16hs e aos sábados das 9hs às 12hs (proibido o funcionamento nos domingos e feriados);
  • 09:00 h →16:00 h – de segunda à sexta-feira
  • 09:00 h →12:00 h – sábados
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados
  1. II) Supermercados e atividades Similares: De segunda-feira ao sábado das 8hs às 19hs (proibido o funcionamento nos domingos e feriados);
  • 08:00 h →19:00 h – de segunda aos sábados
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados

III) Panificadoras: De segunda-feira ao sábado das 6hs às 19hs (proibido o funcionamento nos domingos e feriados);

  • 06:00 h →19:00 h – de segunda aos sábados
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados
  1. IV) Postos de Combustíveis: Sem restrição no horário de funcionamento, inclusive para domingos e feriados, porém, suas lojas de conveniências deverão respeitar os horários do toque de recolher (naqueles municípios onde há toque de recolher) e da restrição para venda de bebidas alcóolicas após as 22hs (Decreto Estadual 4886);
  2. V) Delivery (Disk entrega): Autorizado todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados, porém com restrições devido ao ramo da atividade:
  • De Alimentos: Das 9:00hs → 0:00hs (meia noite);
  • De Bebidas alcoólicas: Das 9:00hs → 22:00hs (Decreto Estadual 4886);
  1. VI) Casas lotéricas: De segunda a sexta-feira das 8hs às 17hs e aos sábados das 8hs às 12hs;
  • 08:00 h → 17:00 h – de segunda à sexta-feira
  • 09:00 h → 12:00 h – sábados

VII) Restaurantes: Poderão ter funcionamento presencial e delivery.

  • A) Presencial: Dois horários de funcionamento de segunda-feira a sábado
  • Diurno – Das 9:00hs → 16:00hs
  • Noturno – Das 18:00hs → até o horário do toque de recolher;
  • Proibido o funcionamento presencial nos domingos e feriados
  • B) Delivery (Disk entrega): Autorizado todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados
  • Alimentos – Das 9:00hs → 0:00hs (meia noite);
  • Bebidas alcoólicas – Das 9:00hs → 22:00hs (Decreto Estadual 4886)

VII) Lanchonetes e Bares: Poderão ter funcionamento presencial e delivery.

  • A) Presencial: Dois horários de funcionamento de segunda-feira a sábado
  • Diurno – Das 9:00hs → 16:00hs
  • Noturno – Das 18:00hs → até o horário do toque de recolher;
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados
  • B) Delivery (Disk entrega): Autorizado todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados
  • Alimentos – Das 9:00hs → 0:00hs (meia noite);
  • Bebidas alcoólicas – Das 9:00hs → 22:00hs (Decreto Estadual nº 4886)

 VIII) Distribuidoras de Bebidas e Conveniências: Poderão ter funcionamento presencial e delivery.

  • A) Presencial: De segunda-feira aos sábados
  • Das 9:00hs → até o horário do toque de recolher
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados
  • B) Delivery (Disk entrega): Autorizado todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados
  • Bebidas alcoólicas – Das 9:00hs → 22:00hs (Decreto Estadual 4886)
  1. IX) Consultórios médicos e odontológicos: Deverão respeitar o horário de funcionamento do comércio em geral.
  • 09:00 h →16:00 h – de segunda à sexta-feira
  • 09:00 h →12:00 h – sábados
  • Proibido o funcionamento nos domingos e feriados
  • Exceção de horário para atendimentos de urgência e emergência.
  1. X) Festas e Confraternizações: Proibido qualquer dia e horário da semana, com multa para transgressores;

XII) Uso obrigatório de máscaras: Fiscalizar e aplicar as multas definidas pela Lei Estadual em caso de descumprimento (De 106,00 a 530,00 pessoa física e de 2.120,00 a 10.600,00 pessoa jurídica);

XIII) Espaços públicos (pista da saúde, pista de skate, campos de futebol, quadras poliesportivas, academias da saúde etc ) ficam interditados para todo tipo de lazer, passeios, reuniões e práticas esportivas.

A participação de secretários e diretores municipais de Saúde na quarta foi relevante, mas o esclarecimento dos agentes públicos sobre o novo coronavírus foi alarmante e esclarecedor.

Márcia Scarpelini, Chefe  da Divisão de Vigilância em Saúde, disse que festas são o que mais causam a infecção na região, “as pessoas compartilham copos, cigarros, narguilés, comida e tudo sem proteção, é o principal motivo e pode e deve ser evitado”, afirmou, categórica.

Fizeram os alertas também Walmir Joaquim, Chefe da Atenção Primária; Juliana Arantes Juliano de Castro de Brito, Chefe de Sessão da Scaera( Sessão de Ações Estratégicas) da 19ª Regional, e Suelene Manfre, Chefe da Epidemiologia municipal.
Na coordenação a secretária-executiva da Amunorpi, Michele Naide.

O contágio pode vir no ar, aperto de mão, tosse, espirro, solas de sapatos, saliva, sacolas de supermercados,embalagens e até, como exemplificado na reunião, por meio da tampa de uma cafeteira, onde todos tocam e pode servir de “transmissor” da doença.

Higiene pessoal, lavar as mãos sempre e evitar tocar no rosto, muito cuidado ao sair do trabalho (não tirar a máscara e nem abraçar colegas); ir à farmácia ou ao supermercado, se for necessário, sozinho e nunca levar crianças e idosos; evitar frequência de bares; evitar tocar em objetos de uso comum (maçanetas, botões, corrimão etc.), antes de comer ou preparar alimentos e depois de usar o banheiro. Se a torneira não for automática, usar a tolha de papel para fechá-la, ou lavar a torneira.

As profissionais afirmaram que nos próximos dias a tendência é aumentar o número de casos e, se houver efetiva conscientização da população, no início de agosto as infecções deverão diminuir, “todos precisamos nos esforçar agora e, se na sua cidade não tem festa nem bar aberto, não vá na cidade vizinha que tem” , resumiu Juliana.

 

No mês passado, no Paraná, do total de 711 mil pessoas que estiveram ocupadas e afastadas do trabalho que tinham, 541 mil foram afastadas devido ao distanciamento social, ou seja, cerca de 10,2% do total da população ocupada (5,2 milhões). Dessas, cerca de 320 mil deixaram de receber remuneração.

Esses são alguns dados da PNAD COVID19, uma versão extraordinária da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua) feita pelo IBGE e que tem por finalidade identificar os indivíduos com sintomas associados à COVID-19 e o impacto da pandemia no mercado de trabalho. Os números divulgados ontem (24) são referentes à divulgação mensal do mês de maio, que traz dados sobre as Unidades da Federação.

Sobre o teletrabalho, em maio, o número de pessoas ocupadas e não afastadas do trabalho que trabalhavam de forma remota no Paraná foi cerca de 490 mil, 10,7% do total da população ocupada e não afastada do trabalho.

Sobre a renda, a pesquisa indicou que, embora o rendimento médio real normalmente recebido de todos os trabalhos das pessoas ocupadas fosse de 2.528, o rendimento efetivo foi de apenas 2.126 em maio. Ou seja, por algum motivo (redução salarial, suspensão de algum benefício ou gratificação, desconto por falta no trabalho etc.), as pessoas deixaram de receber em maio o que recebiam anteriormente. O contingente de pessoas no Paraná que tiveram essa redução de renda foi de 1.734.631. Já o rendimento real domiciliar per capita médio efetivamente recebido no Paraná em maio foi de 1.614 reais.

Segundo a pesquisa, no Paraná, o número de pessoas não ocupadas e que não procuraram trabalho, mas que gostariam de trabalhar na semana anterior foi de 827 mil. O total de pessoas não ocupadas que não procuraram trabalho por conta da pandemia ou por falta de trabalho na localidade, mas que gostariam de trabalhar na semana anterior foi de 413.749.

Ainda sobre o mercado de trabalho, a pesquisa verificou que, em maio, a população residente no Paraná era de 11.491.369 pessoas. As pessoas em idade de trabalhar, 14 anos ou mais, perfaziam um total de 9.340.269. Na força de trabalho (somatório entre as pessoas ocupadas e desocupadas) paranaense, a PNAD COVID19 constatou que as pessoas ocupadas eram 5.278.830 (90,02%) e o total de desocupadas (desempregadas) correspondia a cerca de 585 mil, ou seja, 9,97% da força de trabalho no estado (5.863.767).

FOTOS: ROBERTA RODRIGUES/ESPECIAL PARA O NPDIARIO

Veja também: https://npdiario.com/capa/festa-e-a-maior-causa-de-infeccao-da-covid-19-no-norte-pioneiro/

E ainda:file:///C:/Users/NOTE/Pictures/EDI%C3%87%C3%83O%201690.pdf

O número de pessoas que estiveram fora da força de trabalho (pessoas que não estavam ocupadas nem desocupadas, ou seja, não estavam trabalhando e nem procurando emprego) no Paraná foi de 3.476.502.O total de pessoas desocupadas ou não ocupadas que não procuraram trabalho por conta da pandemia ou por falta de trabalho na localidade, mas que gostariam de trabalhar foi de cerca de 414 mil no estado.A taxa de participação na força de trabalho (percentual de pessoas na força de trabalho na semana de referência em relação às pessoas em idade de trabalhar) ficou em 62,7%. Já o nível de ocupação (percentual de pessoas ocupadas em relação às pessoas em idade de trabalhar) ficou em 56,5%.

No Paraná, o percentual de pessoas não ocupadas que não procuraram trabalho, mas que gostariam de trabalhar na semana anterior, no total de pessoas fora da força de trabalho foi de 23,8%. O percentual de pessoas não ocupadas que não procuraram trabalho por conta da pandemia ou por falta de trabalho na localidade, mas que gostariam de trabalhar, no total de pessoas fora da força de trabalho foi de 11,9%.

A PNAD COVID19 ainda revelou que, no Paraná, o número de pessoas ocupadas e na informalidade no mês de maio foi de 1.475.235.

O percentual de domicílios que receberam auxílio emergencial (transferência de rendimentos às famílias feitas pelos governos federal, estadual ou municipal) no total de domicílios do Paraná no mês de maio foi de 31,3%. A média do rendimento proveniente do auxílio emergencial recebido pelos domicílios foi de 774 reais. Vale ressaltar que, no Paraná, há o programa Cartão Comida Boa, portanto, é possível que haja paranaenses que recebam mais de um auxílio emergencial, além daquele de 600 reais criado pelo governo federal.

Dados da saúdeNo Paraná, em maio, segundo o IBGE, o número de pessoas que apresentaram algum dos sintomas associados à síndrome gripal (febre, tosse, dor de garganta, dificuldade de respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de cheiro ou de sabor e dor muscular) foi cerca de 898 mil pessoas. A pesquisa criou um indicador síntese que conjugou, entre os sintomas analisados, os mais associados à Covid-19. Esses sintomas foram: perda de cheiro ou de sabor, ou tosse e febre e dificuldade para respirar, ou tosse e febre e dor no peito. O número de pessoas que apresentaram sintomas referenciados conjugados no Paraná foi cerca de 64 mil no mês passado.

O total de pessoas no Paraná que apresentaram algum dos sintomas e que procuraram algum estabelecimento de saúde foi de 147.206, ou seja, 16,4% do número de pessoas que apresentaram algum sintoma relacionado a síndrome gripal no estado. Das cerca de 64 mil pessoas que apresentaram sintomas referenciados conjugados, pouco mais de 18 mil (28,9%) procuraram por algum estabelecimento de saúde.

 

 

 

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Comentários

  • Facebook
  • Google Plus

Notícias relacionadas