NPdiário | Sem-terra invadem área pública de Ribeirão do Pinhal

Sem-terra invadem área pública de Ribeirão do Pinhal

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

As barracas do acampamento estão aumentando e os trabalhadores rurais se organizam como grupo efetivamente unido

 

Nenhuma descrição disponível.

Um grupo chamado Movimento União de Agricultura Familiar (MUAF) liderado por Pedro Xavier Dias, invadiu há cerca de dez dias uma área da prefeitura de Ribeirão do Pinhal, no Norte Pioneiro. O prefeito Wagner Martins (PSD) informou que entrará na Justiça com pedido de reintegração de posse nesta semana, possivelmente nesta terça-feira, dia primeiro.

De acordo com ele e o vice-prefeito, Cássio Badaró da Silveira Pinto (MDB) , são aproximadamente dois alqueires a serem destinados para alguma empresa que intencione se instalar. As últimas tratativas foram com investidores de um laticínio.

O local do acampamento, às margens da PR-439 no trevo com a PR-436 (sentido Abatiá) fica a aproximadamente 20 quilômetros de Santo Antônio da Platina.

Não há energia elétrica e à noite aproveitam a luz da  Integrada Cooperativa Agroindustrial, localizada na frente de onde estão instalando as precárias barracas feitas com bambu e lonas. Alguns integrantes residem em cidades próximas e trabalham com pedreiros, serventes e mesmo na zona rural como lavradores.

De acordo com Pedrinho, com vasta experiência  como sem-terra, estão sendo feitas “casinhas”, buracos em estruturadas tapadas que servem como sanitários. São entre 30 a 40 famílias e 150 a 180 pessoas incluindo crianças e adolescentes.

Não tem plantação, “ a gente iria fazer estufas de verduras, mas estão chegando muitos companheiros, vamos ver…Estamos procurando fazendeiros da região para negociar uma área para assentar esse povo, como a dona da vizinha Fazenda Santa Maria (filha do falecido ex-deputado federal Santinho Furtado) que pode ceder uma parte da propriedade dela para nós”, disse.

Ao saber da possível reintegração que poderá ser realizada pela Polícia Militar, o sem-terra respondeu: “ Se acontecer, vamos ficar na beira da pista(rodovia PR-439), e eles não poderão nos tirar”.

O Norte Pioneiro já registrou diversas indisposições também por terras devolutas, as transferidas ao domínio do Estado e que não foram mudadas por título legítimo de origem pública ao domínio privado e também por fazendeiros que “abandonavam” as propriedades sem lavoura ou criação, o que atraía os movimentos campesinos, normalmente baseados na ideologia socialista.

A PM procura evitar confrontos desse tipo, mas, se for o caso age para ao menos reduzir conflitos.

O major Robson Falk Vieira, subcomandante do 2º Batalhão da Polícia Militar de Jacarezinho, confirmou ao npdiario nesta segunda-feira não ter recebido ainda nenhuma determinação judicial sobre o caso.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Nenhuma descrição disponível.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Comentários

  • Facebook
  • Google Plus

Notícias relacionadas